Saídas Culturais

1 – Circuito Paulista

 

Apresentaremos um pouco da história da avenida mais famosa de São Paulo, desde a sua abertura e a construção dos casarões, no início do século XX – alguns remanescentes. Podemos visitar o Museu de Arte de São Paulo (MASP), importante por abrigar, basicamente, obras de origem europeia em seu acervo, além de exposições temporárias. Veremos em detalhes como se deu a implantação desse museu, o projeto arquitetônico, além de abordar um pouco da história de Assis Chateaubriand e Pietro Maria Bardi, seus fundadores, dentre outros aspectos. Conheceremos os Centros Culturais (Centro Cultural da Caixa, o Centro Cultural da Fiesp, o Centro Cultural Itaú e a Casa das Rosas) localizados ao longo da avenida e veremos como o local se transformou no maior centro financeiro do país.

 

2 – Museu do Imigrante

 

Veremos como se deu o processo de imigração dos europeus e asiáticos para o Brasil, suas motivações e as condições de vida e de trabalho encontradas no novo continente. Contaremos a história de algumas das principais nacionalidades de imigrantes, com destaque para os italianos, espanhóis, japoneses, chineses e judeus. Falaremos das significativas contribuições dos imigrantes para com o idioma, a culinária e os hábitos locais. Contaremos um pouco da história da Hospedaria e do Museu do Imigrante, onde atualmente funciona o Memorial do Imigrante, um enorme conjunto de prédios que abrigava os recém–chegados nos seus primeiros dias em São Paulo. O local funciona como museu desde 1993. Por fim, trataremos dos aspectos arquitetônicos do edifício.

 

3 – Região da Luz (Saída programada até 5 horas)

 

O mais novo polo cultural da cidade de São Paulo reúne a Pinacoteca do Estado de São Paulo – cujo acervo compreende obras de artistas nacionais desde os românticos (século XIX) até os contemporâneos; a Estação Pinacoteca que abriga arte do extenso programa de exposições temporárias da Pinacoteca do Estado; as esculturas do Jardim da Luz; o Museu da Língua Portuguesa e a Estação da Luz, construída entre 1895 e 1901, cuja estrutura metálica de ferro fundido foi trazida da Inglaterra, por meio de peças pré-moldadas e aqui montadas. Na região também encontramos a Sala São Paulo (sala de concertos), o Museu de Arte Sacra e o Arquivo Municipal (cujo prédio foi projetado por Ramos de Azevedo, que assina também o projeto da Pinacoteca e do Teatro Municipal).

 

4 – Pinacoteca do Estado de São Paulo (Saída programada de até 4 horas)

 

A Pinacoteca do Estado de São Paulo é um dos mais importantes museus de arte do Brasil. O edifício foi projetado por Ramos de Azevedo, o mesmo arquiteto do Teatro Municipal de São Paulo, para ser a sede do Liceu de Artes e Ofícios. O museu de arte foi criado oficialmente em 1905, mas só na década de 1990 tornou-se uma das mais dinâmicas instituições culturais do país. Abriga um dos maiores e mais representativos acervos de arte brasileira, com quase oito mil peças principalmente dos séculos XIX e XX. Dentre as obras mais significativas do século XIX destacamos as de Almeida Júnior (paisagens, retratos e cenas de interior, como por exemplo Caipira Picando Fumo, Saudade e Leitura). Há, ainda, as naturezas-mortas de Pedro Alexandrino que ocupam uma sala inteira, onde se destacam Cozinha na Roça, Peru Depenado e Aspargos. As paisagens de Benedito Calixto como a Baía de São Vicente; pinturas históricas e cenas de gênero de Oscar Pereira da Silva (Hora de Música e Infância de Giotto); e a tela Maternidade, de Eliseu Visconti. A coleção tem especial importância pelo destacado número de obras de pintores acadêmicos paulistas. O acervo conta, ainda, com diversas obras de artistas modernistas, como Victor Brecheret, Tarsila do Amaral, Lasar Segall, Anita Malfatti, Cândido Portinari (que assina um painel na sede da ONU, em Nova Iorque), Di Cavalcanti, Vicente do Rego Monteiro e Francisco Rebolo. Dentre as obras abstracionistas destaque para Waldemar Cordeiro, Samson Flexor, Arcângelo Ianelli. Complementam a coleção nove bronzes de Auguste Rodin (Torso da Sombra, Bacanal, Gênio do Repouso Eterno).

 

Graziela Naclério Forte é professora com larga experiência, inclusive internacional, no ensino da arte e da cultura brasileira. Ministra cursos de História da Arte Brasileira e Português tanto para brasileiros (reciclagem gramatical), como para estrangeiros (PLE/L2 desde o nível básico até o preparatório para o exame de proficiência Celpe-Bras). Coordena e ministra treinamentos virtuais para professores de Português, residentes no Brasil e no exterior. Autora do livro digital Celpe-Bras sem segredos. Doutoranda em Sociologia da Cultura pela UNICAMP e mestre pela USP (2008).

 

Obs: Estas aulas também podem ser dadas em sala de aula.